Diálogos para el terror. Brasil-España

Um diálogo sobre as afinidades e diferenças entre as literaturas de horror em a ambos os lados do Atlântico.

No próximo 22 de fevereiro, a partir das 18h00, o CEB acolhe a mesa redonda “Diálogos para el terror. Brasil-España“, com a participação do escritor e pesquisador brasileiro Oscar Nestarez e do ilustrador espanhol Tomás Hijo. A moderação da mesa será de Diego Matos Agudo, jornalista, divulgador e crítico especializado em quadrinhos e em literatura fantástica em geral.

O evento acontecerá de forma presencial no salão de atos do Palácio de Maldonado (plaza de San Benito, 1. Salamanca) e será transmitido ao vivo através das redes sociais do CEB: Facebook e YouTube. A entrada é livre até completar a lotação.

Sobre o horror

O que significa horror? Por definição, o horror é uma sensação de medo muito intensa. O medo, por sua vez, se define como uma perturbação angustiosa do ânimo por um risco real ou imaginário. E quando supera o controle cerebral e o sujeito não pode pensar de forma racional, aparece o horror. De que temos medo? Os horrores são comuns? Do natural ao preternatural, Oscar Nestarez e Tomás Hijo, dois especialistas no desconhecido, no terrorífico, falam sobre o tema num encontro coordenado pelo jornalistaDiego Matos. Autores, personagens, lendas, atmosferas… Todo isso e mais em “Diálogos para el terror. Brasil-España”.

Conheça os participantes

Tomás Hijo é ilustrador de mais setenta livros (e autor de alguns deles), é cocriador com Guillermo del Toro, do Tarot del Toro e do Labyrinth Tarot, com licença e supervisão de The Jim Henson Company. Prop designer para El callejón de las almas perdidas, dirigida por Guillermo del Toro, trabalhou com o cineasta espanhol Rodrigo Cortés e desenhou produtos promocionais para a série de Netflix Stranger Things. Professor de ilustração e desenho na Universidad de Salamanca até 2022, e foi premiado com o Tolkien Society Best Artwork Award e expõe regularmente em galerias europeas e dos Estados Unidos.

Oscar Nestarez é licenciado em publicidade e comunicação social, escritor, tradutor e pesquisaodr especializado em literatura de horror. É autor das coleções Horror adentroO breu povoado, e dos romances Bile Negra (Editora Empíreo, 2017) e Claroscuro (Draco, 2021), que recebeu o prêmio Odisseia de Literatura Fantástica à melhor narrativa de horror. Também organizou com Júlio França a coleção Tênebra – Narrativas de terror brasileiras [1839-1899]. Atualmente realiza uma estância de pós-doutorado na Universidad de Alcalá (Madri), sob a orientação dos professores David Roas e Teresa López Pellisa. Escute aquo o podcast da entrevista que concedeu ao programa radiofônico BMQS.

Diego Matos Agudo é doutor em Comunicação com uma tese sobre o quadrinho como gênero jornalístico, é diretor de comunicação do Complejo Asistencial Universitario de Salamanca. É autor de vários livros, entre eles: The Walking Dead: Caminando entre los muertos (Dolmen Editorial), Superman: El primer superhéroe (Dolmen Editorial);  Invencible: Entre lo ordinario y lo extraordinario (Ninth Ediciones) e Periodismo Cómic: Una historia del género desde los pioneros a Joe Sacco (Comunicación Social Ediciones y Publicaciones). O seu projeto mais pessoal é Back to the Culture, um fanzine em papel de conteúdo retro centrado em monográficos das franquícias mais importantes dos anos 80 e 90. Professor associado da Faculdade de Comunicação da Universidad Pontificia de Salamanca, é presidente da Asociación Salmantina de Periodistas (ASPE). Além disso, é um apaixonado pelo gênero do horror em todas as suas formas.

Fecha y hora

22/02/2024 6:00 pm

Fecha de inicio

22/02/2024

Fecha de fin

22/02/2024

Compartir

Relacionado:

Professora da UFBA ministra conferência sobre a educação pelo rádio a partir das escolas radiofônicas brasileira do MEB.
Segundo encontro organizado no âmbito do convênio de cooperação entre a Universidad de Salamanca (USAL, Espanha) e a Universidade de São Paulo (USP, Brasil).
A atriz e compositora brasileira Fernanda Cabral apresentará um documentário sobre a cosmogonia da comunidade de Hiulaya, um dos povos originários que vivem no
Um recital de violonchelo com as professoras Nuria Rosa Muntañola e Milene Jorge Aliverti.
Uma atividade organizada no âmbito do convênio de cooperação entre a Universidad de Salamanca (USAL, Espanha) e a Universidade de São Paulo (USP, Brasil).
Anterior
Próximo