A USAL revisa a história do Brasil e seus desconhecidos 80 anos sob a Coroa Espanhola

O Centro de Estudos Brasileiros (CEB) da Universidade de Salamanca apresentou hoje o livro ‘Brasil na Monarquia Hispânica. Novas interpretações’ e a base de dados BRASILHIS. Com a presença de Juan Manuel Corchado, pró-reitor de Investigação e Transferência.

JM30.06.2015

O Centro de Estudos Brasileiros (CEB) da Universidade de Salamanca apresentou hoje o livro ‘Brasil na Monarquia Hispânica. Novas interpretações’ e a base de dados BRASILHIS. Com a presença de Juan Manuel Corchado, pró-reitor de Investigação e Transferência; Ignacio Berdugo, diretor do CEB, e o professor José Manuel Santos Pérez, do Departamento de História Medieval, Moderna e Contemporânea da Universidade de Salamanca, Berdugo explicou que este livro recolhe a história de um período concreto da história do Brasil, entre 1580 e 1668, etapa na qual reinaram “os felipes” e na qual o país americano era uma colônia espanhola sob o poder da Casa dos Hasburgo. Para o diretor do CEB, este trabalho é o resultado de uma colaboração conjunta de grupos de pesquisa brasileiros e da USAL. Entre os resultados da pesquisa, o professor Santos indicou que o Brasil era, a finais do século XVI um ponto estratégico para a defesa do Atlântico, motivo pelo qual os monarcas espanhóis “se preocuparam e muito por este país, com muita importância nesse período”. Neste sentido, destaca que foi neste período quando foram fundadas a maioria das fortalezas da costa leste do Brasil “porque preocupava a defesa”. Foi neste período dominado peos Hasburgo quando o Brasil foi dividido em dois estados, começaram a serem formadas as instituições e foram criadas as ordenações filipinas. “Foi uma etapa crucial, foi um dos territórios mais importantes na corte espanhola”. Nesta ocasição, também foi apresentada a nova base de dados BRASILHIS, um dos pilares do projeto “Redes políticas, comerciantes e militares no Brasil durante a Monarquia Hispânica e suas postrimeiras, 1580-1688” financiado pelo MINECO. “Permite-nos conhecer de perto este período histórico” através de trâs entradas, personagens, referências bibliográficas e documentais. José Manuel Santos indicou que esta base, de acesso público, permite a consulta de documentos originais que foram utilizados para o livro. A informação completa em Salamancartvaldia, Salamanca24horasEl Norte de Castilla e La Gaceta de Salamanca.

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

Uma comemoração da independência do Brasil, que em 2022 celebrará seu bicentenário.
O CEB participa novamente da Feira de Boas-vindas da USAL. Venha a conhecer-nos!
Um ciclo de entrevistas a diferentes lideranças sociais e especialistas da região amazônica.
O programa do CEB na Rádio Universidade vem dedicando várias entregas a diferentes temas sobre a Amazônia brasileira. Clica aqui para escutar os podcasts.
Anterior
Próximo