“Urucum, cor de sangue” de Tales Völker

Um relato sobre o conflito entre tradição e modernidade, o urbano e o rural, as raízes e o futuro incierto.

“Urucum, cor de sangue” é o relato vencedor da quarta edição do concurso “Cuéntame un cuento”. O autor, Tales Volker, nos coloca, literalmente, na pele de muitos jovens indígenas que têm que escolher entre a tradição ou a modernidade e para quem a vida na cidade, fora da floresta, significa, muitas vezes, a perda da própria identidade. A pintura corporal, feita com sementes de urucum, é uma das expressões culturais mais arraigadas entre as populaç4oes originárias do continente americano, e dá título a um relato emotivo, que deixa um sabor amargo na boca. Neste vídeo , Tales lê um pequeno fragmento da história, que está disponível, completa, no livro Cores Amazónicas, publicado por Ediciones Ambulantes.

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

O desafio do desenvolvimento sustentável é o tema da entrevista aos professores da Universidade de Salamanca, Manuel Portillo Rubio e Fernando Silla.
Na tarça-feira, 8 de junho, Rádio USAL realiza um programa ao vivo no Campus Miguel de Unamuno com motivo do fim do curso.
Anterior
Próximo