Programa cultural

Terça-feira, 25 de fevereiro – 17h00

Exibição do documentário “Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife”, dirigido por Leo Falcão, seguido de mesa redonda.

Moderador: Mario Helio Gomes de Lima

Mario Helio Gomes de Lima (coordenador acadêmico do congresso)

Visita guiada pela cidade de Salamanca -19h00

Quarta-feira, 26 de fevereiro-13h00

Inauguração da exposição “Itinerarios hispánicos de Gilberto Freyre”, Pablo González Velasco (USAL ) – Jamile Barbosa (Fundación Gilberto Freyre, Brasil).

Os itinerários hispânicos do antropólogo brasileiro Gilberto Freyre são aqueles percorridos pelo próprio autor, em sua genealogia familiar, suas viagens, sua formação e o seu ideário. Itinerários transoceânicos, de ida e volta, que seus leitores também percorrem na interpretação da sua obra e sua biografia. Freyre soube interpretar sem preconceitos a Ibéria medieval e do Renascimento a partir do método do relativismo cultural do antropológico Franz Boas e da sua perspectiva de tempo tribio onde “o passado nunca foi, o passado continua”.

É possível traçar os diferentes itinerários hispânicos de Freyre, em um sentido além do espanhol (entendendo o hispânico como ibérico), ao identificar a marca ibérico-medieval no Nordeste brasileiro; ou ao traçar as afinidades, contrastes e possíveis futuros geopolíticos em suas interrelações hispânicas do livro O Brasileiro entre os outros hispanos; ou ao esboçar seu inovador conceito de hispanotropicologia. Para Freyre, o Brasil não era só “hispânico”, mas era o país mais hispânico de todos: duplamente hispânico. Primeiro por ser Portugal também de cultura ibérica, e segundo pela experiência decisiva da época “filipina” da união de coronas sob o cetro dos reis espanhóis.

O catedrático da Universidade de Salamanca e prefeito da cidade, Alberto Navarro González, amigo do antropólogo brasileiro, deixou escrito que a Espanha e a universidade espanhola tinham uma dívida com Gilberto Freyre por sua enorme contribuição para visualizar e estreitar os laços culturais entre o Brasil e a Espanha. Esta exposição, que forma parte do I Congresso Internacional de Ciências Sociais e Humanas. La obra de Gilberto Freyre en el marco de las Ciencias Sociales y Humanas contemporánea, organizado pelo Centro de Estudos Brasileiros da USAL vem saldar, em parte, a dívida espanhola e salmantina com o antropólogo brasileiro.