A Junta de Castilla y León seleciona o projeto de José Manuel Santos

Trata-se do único projeto de História, o único sobre o Brasil, e um dos poucos em Humanidades concedidos no presente edital.

A Junta de Castilla y León selecionou o projeto «Intercambios culturales, transculturación y castellanización en los territorios del Reino de Portugal y Brasil durante el periodo de integración en la Monarquía Hispánica y sus postrimerías (1580-1668)», do professor José Manuel Santos Pérez, para as ajudas outorgadas através do programa de apoio a projetos de pesquisa do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. O projeto, no qual colabora a Fundação Cultural Hispano-Brasileira, é o único de História, o único sobre o Brasil, e um dos poucos de Humanidades (5 de 90) concedidos no presente edital.

O projeto de pesquisa tem como objetivo estudar os numerosos intercâmbios culturais que ocorreram no período 1580-1668 entre os territórios do Reino de Portugal, suas conquistas americanas (Estados do Brasil e Maranhão), e o conjunto de territórios da chamada “Monarquia Hispânica” ou “Monarquia Católica”. A partir da perspectiva da “história global” e partindo do conceito de “transculturação”, o projeto pesquisa sobre a circulação de livros e ideias, as influências mútuas na escrita e no discurso, as tentativas de imposição linguística e cultural (e neste sentido a implantação da Inquisição e as visitas inquisitoriais ou a entrada de ordens religiosas diferentes a dos jesuitas nos diversos territórios lusos, promovidas pela coroa espanhola, como possíveis mecanismos de controle), assim como as visitas de diversos personagens relevantes à corte e o seu impacto no desenvolvimento da percepção e cosmovisão do(s) império(s) e temas relacionados, como a questão da imagem da corte dos Habsburgo em Portugal/Brasil e do Brasil/Portugal na corte. Todo isso será realizado através da análise das numerosas fontes em arquivos espanhóis, portugueses e brasileiros e nos escritos de grandes cronistas da época como Ambrósio Fernandes Brandão, frei Vicente do Salvador, Fernão Cardim, Gabriel Soares de Sousa, Diogo de Campos Moreno, etc. Igualmente, serão abordados os contrastes entre os discursos de textos pré e pós Restauração portuguesa, e a visão de diversos autores deste momento histórico nos territórios periféricos, fundamentalmente o Brasil.

O projeto conta com ma equipe de pesquisa internacional internacional formada pelos professores Pedro Serra (USAL), José Luis Ruiz Peinado-Alonso (Universidade de Barcelona), Enrique Rodrigues Moura (Universidade de Bamberg, Alemanha), José Carlos Vilardaga (Unifesp, Brasil), e Ana Paula Megiani (USP, Brasil).

Escute aqui o áudio do Prof. José Manuel Santos Pérez sobre o projeto de pesquisa.

José Manuel Santos é professor titular de História do Brasil na Universidade de Salamanca e diretor do Grupo de Pesquisa e da Base de Dados “BRASILHIS”. Codiretor da Revista de Estudios Brasileños (REB) do Centro de Estudos Brasileiros da USAL, do qual foi  o primeiro diretor. Dirigiu vários projetos de pesquisa nacionais e internacionais e suas linhas de pesquisa incluem o impacto da União das Coroas no território brasileiro, a venalidade e a “corrupção” dos agentes administrativos da América portuguesa e sua circulação durante esse mesmo período.

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

“Reflexões políticas e jurídicas sobre a proteção do meio ambiente e as políticas de desenvolvimento na Amazônia” é o tírulo do evento.
Antonio Maura, diretor do Instituto Cervantes do Rio de Janeiro e sócio corresponsal da ABL, foi o responsável por ministrar a conferência de inauguração,
Sumissão de entrevistas para a REB até 31 de maio de 2021.
Anterior
Próximo