La emigración castellano-leonesa a Brasil, 1946-1962

Em 1946, depois de superar as feridas mais graves da Guerra Civil, foi restabelecida a lei de emigração de 1924 que permitia a todo espanhol sair livremente do país. Desde essa data e até princípios dos anos 60, quando a Europa assume o posto, mais de 700.000 espanhóis prepararam as malas com rumo à América. Dentro desse movimento geral, o Brasil como país de destino e Castela e Leão como ponto de partida, apresentam características especiais e praticamente desconhecidas.
Título La emigración castellano-leonesa a Brasil, 1946-1962
Autor Gambi Giménez, Esther
Editora Ediciones Universidade de Salamanca
ISBN 978-84-9012-122-1
Edição  2012


Em 1946, depois de superar as feridas mais graves da Guerra Civil, foi restabelecida a lei de emigração de 1924 que permitia a todo espanhol sair livremente do país. Desde essa data e até princípios dos anos 60, quando a Europa assume o posto, mais de 700.000 espanhóis prepararam as malas com rumo à América. Dentro desse movimento geral, o Brasil como país de destino e Castela e Leão como ponto de partida, apresentam características especiais e praticamente desconhecidas. Baseado em fontes de arquivo, mas também em entrevistas pessoais e na memória dos próprios protagonistas, este livro oferece uma primeira aproximação a um fenômeno complexo e rico como é a emigração. Pode consultar o índice clicando aqui.

Elementos relacionados:

Ponto de venda

Compartir

Relacionado:

Interessante entrevista a José Manuel Santos, novo diretor do Centro de Estudos Brasileiros, na “Gaceta de Salamanca”.
Até 31 de outubre, chamada para o dossiê “Estudos Sociais das Ciências no Brasil”.
Anterior
Próximo