Top 10: Os Raimundos

Depois de 5 milhões de cópias vendidas e 30 anos sobre os palcos, nossos de hoje não precisam de apresentação.

O grupo se formou em Brasília em 1987, por iniciativa de dois rapazes que compartilhavam o mesmo bairro: Digão, na bateria e Rodolfo Abrantes na guitarra, a quem se juntou pouco depois o baixista Canisso. Influenciados por grupos como Dead Kennedys, Suicidal Tendencies e, sobretodo, Os Ramones, dos quais tomaram o nome, incorporaram também contribuições da cultura nordestina, especialmente do compositor de forró Zenilton. Em 1994, lançaram o primeiro disco Raimundos com a fonográfica Banguela dos Titãs. O álbum teve boa aceitação (vendeu mais de 150 mil cópias) e suas músicas com letras cheias de palavrões e fortes influências nordestinas chamou a atenção do público e das rádios com músicas como “Puteiro em João Pessoa”, “Nega Jurema” e “Selim”. O segundo trabalho Lavô tá novo, lançado pela Warner e mais centrado no hardcore, vendeu aproximadamente 400 mil cópias e serviu para consolidar sua carreira. Em 1997, aterrizaram em Los Ángeles para gravar Lapadas do povo um álbum com uma sonoridade mais pesada, sem influências nordestinas e com umas letras de cunho social, como “Baile Funky”, que critica a igreja por exigir um “dízimo” para salvar a alma e que também denúncia a corrupção política. O disco inclui uma versão de “Oliver’s army” do britânico Elvis Costello, gravada originalmente em 1978 e uma versão em português de “Ramona” dos Ramones, intitulada “Pequena Raimunda”. 

Em 1999, os Raimundos apresentam Só no forévis, o disco mais vendido da banda. Neste trabalho voltam às raízes musicais, com letras maliciosas e satíricas, e com sucessos que tocavam nas rádios de todo o país como “A mais pedida”, “Aquela” e “Me lambe”, que contou com a participação do Bi Ribeiro, o baixista dos Paralamas do Sucesso.

A princípios de 2001, Rodolfo Abrantes e sua mulher se tornaram evangélicos e o músico decidiu abandonar o grupo para viver de acordo com a sua nova fé. O resto da banda continuou e lançou um novo disco, com o pertinente nome Éramos quatro. O repertório do álbum estava basicamente formado por covers dos Ramones, interpretados num show com motivo do aniversário da emissora de rádio paulista 89 FM, e contou com a participação de Marky Ramone, ex-bateria do grupo. 

Em 2002, nossos protagonistas lançaram o primeiro álbum com músicas inéditas desde a saída de Rodolfo, Kavookavala, com Digão assumindo o papel de vocalista principal. O disco, que conta com a colaboração de Derrick Green, da banda Sepultura e do funkeiro Mr. Catra na canção “Pegamutukala”, foi ignorado pela discográfica e teve números de vendas inexpressivos. Além disso, durante a turnê promocional, Canisso pulou fora do barco e deixou o grupo sem baixista. A crise estava instaurada. Os anos seguintes estiveram marcados por idas e vindas, o fim do seu contrato com a Warner e disputas internas que mantiveram os Raimundos afastados dos focos e da atenção do público. Em 2014, lançaram o primeiro disco com músicas inéditas em 12 anos, Cantigas de roda, produzido com a ajuda de Billy Graziadei, líder de Biohazard e totalmente financiado através de crowdfunding. O disco, de sonoridade densa e pesada, conta com várias colaborações: Frango da banda Galinha Preta, grupo revelação do hardcore brasiliense, Sen Dog de Cypress Hill, e a participação do próprio Billy Graziadei na última pista, intitulada  “Politics”.

Os Raimundos são um claro exemplo de que é possível ressurgir das cinzas, inclusive quando tudo parece perdido. Sem mais, no ano passado foram convidados para apresentar o festival Rock in Rio, compartilhando cenário com a banda CPM 22, e transformando-se em um dos shows estrela da segunda noite do festival.

Músicas do programa:

https://www.youtube.com/watch?v=ofgpbPQT-xA
1. “I Saw You Saying (That You Say That You Saw)”, do álbum “Lavô tá novo” (1995)
https://www.youtube.com/watch?v=H2zQVPpLv5E
2. “Selim” do disco “Raimundos” (1994)
https://www.youtube.com/watch?v=TQ7V5tbX-DM
3. “Eu quer ver o oco” do álbum “Lavô tá novo” (1995)
4. “Andar na pedra” de “Lapadas do povo” (1997)
5. “Bonita” de “Lapadas do povo” (1997)
https://www.youtube.com/watch?v=VLTePjx-2i4
6.“Me lambe” do disco “Só no forévis” (1999)
https://www.youtube.com/watch?v=FkXWfreN2QA
7. “Mulher de fases” do disco “Só no forévis” (1999)
8. “Sanidade” de “Éramos quatro” (2001)
9. “Politics” de “Cantigas de roda” (2014)
10. “A mais pedida” de “Raimundos acústico” (2017)

Referências:

Facebook: https://www.facebook.com/raimundosrock/

Youtube: https://www.youtube.com/raimundosrock

Instagram: https://www.instagram.com/raimundosrock/

Twitter: https://www.twitter.com/raimundos

Site oficial: http://www.raimundos.com.br

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

Em colaboração com o Museu da Vida, apresentamos a troça carnavalesca pernambucana dedicada à divulgação científica.
A segunda parte da biografia de um dos médicos e pesquisadores brasileiros mais destacados do século XX.
Anterior
Próximo