O samba da minha terra: Monarco

Programa dedicado a Monarco, presidente de honra da escola de samba Portela.

Nesta última entrega de 2021 de “O samba da minha terra”, prestamos uma homenagem a Monarco, presidente de honra da escola de samba Portela, do Rio de Janeiro, de quem nos despedimos no passado dia 10 de dezembro, aos 88 anos.

Hildemar Diniz, Monarco, nasceu em 1933, e com 10 ano se mudou para Oswaldo Cruz, na zona Norte do Rio de Janeiro. A partir daí, se juntou à comunidade sambista na localidade e nunca mais se separou. Com tão somente 17 anos, em 1950, foi convidado a formar parte da ala de compositores da Portela, e dali, mais tarde, passou a ser o líder da Velha Guarda. Apesar de tantas composições que marcaram não só a história do samba, mas a história da música brasileira, composições gravadas por nomes como Zeca Pagodinho e Beth Carvalho, apesar de tudo isso, Monarco nunca emplacou um samba-enredo na Portela. As suas composições se consagraram como sambas de terreiro e “samba de quadra”, que são os sambas selecionados para animar as quadras das escolas de samba, ou os “sambas esquenta”, que tocam na prévia dos desfiles das escolas de samba na Sapucaí.

Lançou o primeiro disco individual em 1974, intitulado Monarco, pelo selo Eldorado. O segundo disco veio em 1976, Terreiro, também pela Eldorado, que conta com a participação de Paulo da Portela na música “O Quitandeiro”. Nesse disco, saiu um dos seus grandes sucessos, a canção “Passado de Glória”.

De acordo com o verbete do Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, Monarco, ao longo da sua vida contou com 34 discos, entre individuais e participações. Uma de suas participações mais celebradas foi no projeto, gravado 2000, junto com a Velha Guarda da Portela, liderado por Marisa Monte, o disco Tudo Azul, em homenagem à Portela. O disco é uma joia! Marisa Monte montou o repertório junto com a Velha Guarda, o trabalho de pesquisa e de produção são impecáveis.

Mais tarde, em 2008, participou do documentário dirigido por Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, intitulado O Mistério do Samba, dedicado a contar a história da Portela, e que contou com a participação de Monarco, além da Velha Guarda da Portela, Marisa Monte, Zeca Pagodinho e Paulinho da Viola. O documentário contou com a produção de Marisa Monte e venceu o Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, de 2009, na categoria de melhor documentário.

Os últimos projetos mais mediáticos nos quais Monarco participou foram, em 2010, o primeiro DVD, Monarco: a memória do samba, resultado do show no Teatro Casa Gradne, no Rio de Janeiro. Mais tarde, em 2014 lançou o CD Passado de Glória – Monarco 80 anos, um disco com treze sambas inéditos e autorais, produzido por Mauro Diniz, e com a participação de amigos como Beth Carvalho, Marisa Monte, Zeca Pagodinho e até mesmo da cantora Juliana Diniz, neta de Monarco. No ano seguinte, o disco recebeu o Prêmio da Música Brasileira, na categoria “Melhor Álbum de Samba”.

Com uma trajetória biográfica que é quase a mesma história do samba no Rio de Janeiro, Monarco foi um grande compositor, figura imprescindível para entender não só a história das escolas de samba do Rio de Janeiro, mas a própria música popular brasileira. Toda a comunidade portelense, amigos, familiares e uma legião de fãs se despediam de Monarco no passado dia 10.

E para você que nos acompanhou até aqui, boas festas e feliz 2022!

“O samba da minha terra” é uma emissão de Brasil es mucho más que samba, um espaço dedicado ao samba, suas histórias e protagonistas. O programa sai em antena todas as terças-feiras, às 17h00 (hora local). Você nos escuta na 89 FM local e em radio.usal.es.
Músicas no programa: “O samba da minha terra”, João Gilberto, no disco Classics by João Gilberto, 2017. “Passado de glória”, Velha Guarda da Portela, no disco Portela passado de glória, 1970. “Coração em desalinho”, Mart’nalia, no disco Mart’nalia em samba ao vivo, de 2014.
Referências:

Luto no mundo do samba! (2021, 11 dez.). Página oficial Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela. Recuperado de [http://www.gresportela.org.br/Noticias/Detalhes/luto-no-mundo-do-samba]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

Monarco (2021, 16 de dez.). Wikipedia. A enciclopédia livre. Recuperado de [https://pt.wikipedia.org/wiki/Monarco]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

Monarco. Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Recuperado de [https://dicionariompb.com.br/artista/monarco/]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

O Mistério do Samba (2020, 20 maio). Wikipedia. A enciclopédia livre. Recuperado de [https://pt.wikipedia.org/wiki/O_Mist%C3%A9rio_do_Samba]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

Portela (2021, 12 de dez.). Wikipedia. A enciclopédia livre. Recuperado de [https://pt.wikipedia.org/wiki/Portela_(escola_de_samba)]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

Trailer do documentário “O mistério do samba”, de 2008, direção de Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, com a participação da Velha Guarda da Portela, Paulinho da Viola e Marisa Monte. https://www.youtube.com/watch?v=Oq9hgExJorA 

Velha Guarda da Portela. Tudo azul. Recuperado de [https://www.marisamonte.com.br/producoes_/velha-guarda-da-portela-tudo-azul/]. Consultado 17 de dezembro de 2021.

Compartir

Relacionado:

Conversa com um dos fotógrafos selecionados no programa de Residência Artística de Fotografia do CEB.
Podcast do programa dedicado ao grupo “Samba de moça só”, uma formação composta somente por mulheres musicistas de Aracaju (Sergipe, Brasil).
No Dia Internacional da Mulher, entrevistamos Monique Malcher, uma jovem escritora paraense vencedora do último Prêmio Jabuti, na categoria de contos.
Anterior
Próximo