Exposição: Rio vivo

No próximo 5 de março, às 12h00, o Centro de Estudos Brasileiros inaugura a exposição “Rio vivo”, do fotógrafo brasileiro Vitor Marigo, o segundo entre os sete selecionados no programa de Residência Artística de Fotografia 2018.

g_Cartel expo05.03.2018

No próximo 5 de março, às 12h00, o Centro de Estudos Brasileiros inaugura a exposição “Rio vivo”, do fotógrafo brasileiro Vitor Marigo, o segundo entre os sete selecionados no programa de Residência Artística de Fotografia 2018.

Rio de Janeiro é a cidade natal de Vitor Marigo, carioca da gema. Visualmente é uma cidade maravilhosa, mesmo que atualmente atravesse momentos difíceis, principalmente por causa da corrupção e da violência. Por outro lado, é também o lugar perfeito para praticar esportes ao ar livree para o contato com a natureza. Para Vitor, mostrar a melhor cara do Rio de Janeiro, é uma maneira de ajudar a resgatar o amor dos seus habitantes pela cidade, e também de conseguir que o turismo sustentável desempenhe um papel importante na geração de emprego e renda.
Fotógrafo profissional, formado em publicidade e cofundador da empresa de turismo RioXtreme, o seu gosto pela aventura começou cedo, acostumado desde pequeno a acompanhar o pai, um importante fotógrafo da natureza, em suas viagens pelo Brasil e pelo mundo. Dedica-se à fotografia há mais de dez anos, e atualmente, participa em importantes exposições e publicações, tanto nacionais como internacionais. A sua principal motivação é despertar nos brasileiros a consciência, o amor e o respeito pelas incríveis belezas naturais do país. Por isso, escolheu olhar para um Rio de Janeiro feliz, saudável, cheio de energia e esperança.
Esta exposição é uma declaração de amor. É o Rio do jeito que a gente gosta: ¡VIVO!
A exposição estará aberta à vista no Palácio de Maldonado (Plaza de San Benito, 1) de 5 de março a 6 de abril de 2018, de segunda à sexta-feira, de 09h00 às 14h00. A entrada é gratuita.

Compartir

Relacionado:

Edimundo Santos, David Tavares e Carlos Mankuzo fizeram vibrar o teatro Juan del Enzina com os distintos ritmos brasileiros.
A atípica temporada de 2020 de BMQS terminou com uma entrevista ao vencedor do concurso de relato breve do CEB, dedicado à Amazônia brasileira.
A mostra, que estará aberta à visitação até 31 de outubro, reúne obras excepcionais salvaguardadas no acervo da Biblioteca Histórica da Universidad de Salamanca.
Álbum fotográfico da inauguração da exposição cartográfica “Grandezas de Brasil en la Biblioteca Histórica de la Universidad de Salamanca”.
Anterior
Próximo