De 26 a 30 de junho, a Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Salamanca acolhe a exposição "Olhos d'Água", de Eduardo Souza, sobre as origens do cinema brasileiro.

g_Cartel expo26.06.2017

De 26 a 30 de junho, a Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Salamanca acolhe a exposição “Olhos d’Água”, de Eduardo Souza. A mostra, que forma parte das atividades culturais oferecidas pela IV edição do Congresso de História, Literatura e Arte no Cinema em Espanhol e Português, está formada por vinte imagens elaboradas especialmente para o documental “Olhos d’Água – da lanterna mágica ao cinematographo”, do realizador audiovisual paraense Eduardo Souza, e apresenta uma panorâmica da cidade de Belém do Pará (Brasil) entre meados do século XIX e princípios do século XX, com seus teatros e cinemas pioneiros, e seu papel de vanguarda no cenário cultural mundial.

As ilustrações que compõem esta exposição foram realizadas a partir de descrições de praças, teatros, cinemas e os primeiros rituais de projeção de imagens na Amazônia de historiadores e escritores da época, como Vicente Salles e Ernesto Cruz, e são a base das animações usadas no filme. Recorreram a este recurso pela falta de registros visuais desses lugares, tentando assim um retrato o mais fiel possível dos principais espaços de entretenimento da cidade. Da mesma forma que o filme, a exposição busca as origens do pré-cinema e o cinema brasileiro através dos artistas ambulantes e aventureros que “fizeram as Américas” e que chegaram aqui por um dos portos mais famosos do mundo naquela época, fazendo história na agitada e efervescente capital amazônica.
A exposição poderá ser visitada, de maneira gratuita, no hall da Faculdade de Ciências Sociais (Edificio FES-Campus de Unamuno) até finalizar o Congresso.

Compartir

Relacionado:

Duas visitas guiadas para conhecer uma das manifestações culturais mais ricas do Nordeste brasileiro.
Até 29 de fevereiro para apresentar sua candidatura.
A historiadora brasileira Laura de Mello e Souza recebe prêmio em reconhecimento à sua trajetória, escolhida pelo International Commitee of Historical Sciences.
Já está disponível o vídeo com a gravação da representação teatral da obra “El Brasil restituido” de Lope de Vega.
Anterior
Próximo