Manguinhos revelado. Um lugar de ciência

A Casa de Oswaldo Cruz (Brasil) e o Centro de Estudos Brasileiros organizam uma exposição fotográfica sobre as origens de uma das instituições científicas mais importantes da América Latina.

No âmbito das atividades destinadas a celebrar o Bicentenário da Independência do Brasil, o CEB apresenta a exposição “Manguinhos revelado. Um lugar de ciência”. A inauguração acontecerá na sexta-feria, 9 de setembro, às 12h, no hall da Faculdade de Geografia e História da Universidade de Salamanca. O evento de inauguração contará com a presença de Marcos José Pinheiro, diretor da Casa de Oswaldo Cruz (COC, Fiocruz, Brasil), assim como do Prof. José Manuel de las Heras, decano da Faculdade de Geografia e História e do Prof. Pedro Serra, Catedrático de Filologia Moderna e docente de língua e cultura brasileira.

Sobre la Exposición

A exposição tem como objetivo divulgar um importante acervo documental formado por fotografias extraídas de um conjunto de negativos de vidro do arquivo histórico do Instituto Oswaldo Cruz (Brasil). Esse acervo se encontra sob a guarda da Casa de Oswaldo Cruz, unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz, Brasil), dedicada à valorização da memória da instituição, às atividades de preservação do patrimônio histórico e cultural, pesquisa, ensino, documentação e divulgação da história da saúde pública e das ciências biomédicas no Brasil.

Os negativos de vidro apresentam em múltiplas imagens as origens da Fiocruz e o cotidiano das atividades de produção de soros e vacinas, de pesquisa e de ensino desenvolvidas pela instituição entre 1903 e 1946. As imagens também retratam as mudanças na paisagem urbana do Rio de Janeiro nesse período, com destaque para Manguinhos e suas imediações. Além disso, há registros fotográficos das expedições realizadas por cientistas de Manguinhos em várias regiões do país.

A importância desse acervo foi reconhecida em 2012 pelo programa Memória do Mundo da Unesco. O Fundo de Negativos de Vidro do Instituto Oswaldo Cruz é hoje parte do Patrimônio Documental da Humanidade.

Sobre la Fiocruz

As origens da Fiocruz remontam ao Instituto Soroterápico Federal, criado em 1900, no bairro de Manguinhos (Rio de Janeiro, Brasil) para produzir soros e vacinas contra a peste bubônica, que então assolava o país. Em 1908, já como Instituto Oswaldo Cruz, nome dado em homenagem ao seu primeiro diretor, a instituição se transformou num dos mais importantes centros de medicina experimental da América Latina. O Instituto Oswaldo Cruz foi a primeira instituição científica a dar ao país uma reputação internacional, proporcionando os fundamentos para o desenvolvimento sustentável das ciências biomédicas no Brasil na primeira metade do século XX. A Fiocruz hoje se encontra instalada em dez estados brasileiros e conta com um escritório em Maputo, capital de Moçambique, na África. A instituição desenvolve ações de ensino, pesquisa, inovação, assistência, desenvolvimento tecnológico e extensão no âmbito da saúde.

A exposição estará aberta à visitação até 16 de setembro no hall da  Faculdade de Geografia e História. Entrada gratuita.

Fecha y hora

09/09/2022 12:00 am

Fecha de inicio

09/09/2022

Fecha de fin

16/09/2022

Compartir

Relacionado:

Uma exposição coletiva com 40 fotografias que retratam a passagem do tempo no distrito paulista de Paranapiacaba.
Uma mostra espetacular com algumas das obras sobre o Brasil, guardadas na Biblioteca Histórica da Universidade de Salamanca.
Ministrado em modalidade presencial, o curso começa em 5 de outubro com três níveles: A1, C1.1 e Conversação nível avançado.
Anterior
Próximo