Exposição “Retratos do Ribeira”

40 imagens que registram a diversidade social e cultural do Vale do Ribeira (Brasil).

Na segunda-feira, 6 de novembro, às 12 horas, o  CEB inaugura a exposição Retratos do Ribeira, dos fotógrafos brasileiros Paulo Jolkesky e Ricardo Martinelli. A mostra forma parte do programa de Residência Artística de Fotografia 2023 e reúne 40 imagens em preto e branco tomadas entre os anos de 2014 e 2019, em viagens ao Vale do Ribeira (São Paulo-Paraná, Brasil), que registram uma vasta diversidade de contextos sociais e culturais da região. O ato de inauguração contará com a presença dos autores das fotografias, assim como do diretor do CEB, o Prof. José Manuel Santos.

Vale do Ribeira

O Vale do Ribeira está localizado na bacia hidrográfica do rio Ribeira de Iguape. Essa bacia se alimenta das nascentes de rios e riachos da região, que percorrem matas, montanhas, vales e planícies. O rio Ribeira de Iguape se origina a partir da confluência dos rios Ribeirinha e Açungui, do estado do Paraná (Brasil). Nasce a 1.200 metros acima do nível do mar e desce serpenteando por serras, atravessa 9 municípios, e 470 km depois chega à foz: uma grande área alagada, formada por várias ilhas cercadas de manguezais, que são santuários de vida. Ao longo desse trajeto, passa por pequenos grupos de agricultores, comunidades quilombolas e indígenas, colonos e caiçaras, comunidades tradicionais, cujo sustento e sobrevivência dependem do rio e das violentas cheias, típicas da época de chuvas. Atualmente, grande parte da população ainda vive de modo tradicional, apesar das cicatrizes deixadas pela indústria pesada.

A exposição

Retratos do Ribeira é parte de um trabalho mais amplo, sensível à condição humana, suas histórias e raízes. Por meio da fotografia – de rostos, paisagens naturais ou antrópicas – e de depoimentos espontâneos alcançamos conhecimentos e reflexões pessoais, construídas através de uma narrativa original por cada um dos protagonistas. Os retratos aqui expostos – sem formalismos – refletem diferentes manifestações culturais de comunidades presentes na região do Vale do Ribeira (São Paulo – Paraná, Brasil) que, apesar da proximidade geográfica entre elas, preservam seus traços culturais mais particulares. A presença humana no Vale do Ribeira se materializa em casas simples, rostos fortes e histórias complexas de um povo acolhedor e incrivelmente valente.

Nas 40 fotografias que conformam a mostra, a narrativa parte do litoral, da praia, onde teve início o caminho dos desbravadores que navegaram rio acima, contrários à correnteza e à natureza desde os primeiros anos da colonização portuguesa. E seguindo o rio Ribeira, essa estrada viva, o relato continua até o alto das serras, onde inúmeros afluentes fazem dele um dos grandes rios brasileiros.

A ideia que percorre toda a narrativa da exposição é que qualidade de vida depende de cultivar nossas raízes culturais e do desenvolvimento social em equilíbrio com o ambiente. Por meio das fotografias e dos depoimentos dos entrevistados conhecemos a vida e as problemáticas compartilhadas pelas diferentes comunidades, que vivem no Vale do Ribeira.

Os fotógrafos

Paulo Jolkesky é um paulistano apaixonado pela força das artes visuais, que encontrou na fotografia um campo de expressão pessoal e de aprendizado. Uniu a paixão pela fotografia com a que tem pela natureza, cultura e tradições populares, e assim passou a utilizar a linguagem fotográfica para se aprofundar na essência desse tema-objeto. Fotografar tornou-se, então, aprender sobre o que é fotografado. Com esse espírito, desenvolveu inúmeros projetos e participou como membro ativo do fotoclube brasileiro “Luminous”. Em 2022, o livro Retratos do Ribeira, em coautoria com Ricardo Martinelli foi publicado pelo selo Funarte, no Brasil.

Ricardo Martinelli começou nas artes visuais por influência do pai, de quem herdou a primeira câmera. Espeleólogo há 30 anos, Ricardo é membro da União Paulista de Espeleologia, atividade que o levou a conhecer as cavernas do Vale do Ribeira (São Paulo-Paraná, Brasil), suas paisagens e seu patrimônio imaterial. Participou como fotógrafo do “Projeto 32 Cavernas”, na elaboração de um dossiê de imagens para os planos de manejo espeleológicos do Alto Ribeira. Faz parte da equipe do “Projeto Luzes na escuridão”, ao lado de alguns dos mais importantes fotógrafos de caverna do mundo. Em 2022, publicou o livro Retratos do Ribeira em coautoria com Paulo Jolkesky, pela Funarte, no Brasil.

Fecha y hora

06/11/2023 12:00 am

Fecha de inicio

06/11/2023

Fecha de fin

22/12/2023

Compartir

Relacionado:

Os palestrantes analisarão as principais características do chamanismo ameríndio e como ele se vincula à produção de diferentes artistas e intelectuais indígenas.
O professor Sebastião Vargas abordará nesta conferência como aconteceu a transferência do imaginário que a Europa havia criado sobre o Oriente, às terras e
Três especialistas analisam a evolução do movimento indígena no Brasil, a partir da Constituição de 1988 até os nossos dias.
Anterior
Próximo