EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA REUNE OS ITINERÁRIOS HISPÂNICOS DE GILBERTO FREYRE

A exposição destaca a vinculação do célebre sociólogo pernambucano com a Espanha e Salamanca, que visitou em três ocasiões.

Na quarta-feira, 26 de fevereiro, às 13h00, o CEB inaugura a exposição “Itinerarios hispánicos de Gilberto Freyre”, com textos de Pablo González Velasco (USAL) e imagens e documentos proporcionados por Jamille Barbosa (Fundação Gilberto Freyre, Brasil) e do Arquivo Histórico da Universidade de Salamanca.

Os itinerários hispânicos do antropólogo brasileiro Gilberto Freyre são aqueles que foram percorridos pelo próprio autor, em sua genealogia familiar, suas viagens, sua formação e seu ideário. Itinerários transoceânicos, de ida e volta, que seus leitores também percorrem na interpretação da sua obra e da sua biografia. Freyre soube interpretar sem preconceitos a Ibéria medieval e do renascimento a partir do método do relativismo cultural do antropólogo Franz Boas e da sua perspectiva do tempo tribio onde “el pasado nunca fue, el pasado continúa”. É possível traçar os diferentes itinerários hispânicos de Freyre, em um sentido mais amplo do espanhol (entendendo o hispânico como ibérico), ao identificar a marca ibérico-medieval no nordeste brasileiro; ou ao traçar as afinidades, contrastes e possíveis futuros geopolíticos em suas interrelações hispânicas do livro O Brasileiro entre os outros hispanos; ou ao esboçar seu inovador conceito de hispanotropicologia. Para Freyre, o Brasil não só era “hispânico”, mas era o país mais hispânico de todos: duplamente hispânico. Primeiro, por ser Portugal também de cultura ibérica e, segundo, pela experiência decisiva da época “filipina” da união de coroas sob o governo de reis espanhóis. O catedrático da Universidade de Salamanca e prefeito da cidade, Alberto Navarro González, amigo do antropólogo brasileiro, escreveu que a Espanha e a universidade espanhola tinham uma dívida com Gilberto Freyre por sua enorme contribuição para visualizar e estreitar os laços culturais entre o Brasil e a Espanha. Esta exposição, que forma parte do Congresso Internacional de Ciências Sociais e Humanas. La obra de Gilberto Freyre en el marco de las Ciencias Sociales y Humanas Contemporáneas, organizado pelo CEB salda uma parte da dívida espanhola e salmantina com o antropólogo brasileiro.

A mostra estará aberta à visitação no Palácio de Maldonado, de 26 de fevereiro a 20 de março, de segunda à sexta-feria, de 09h00 às 14h00. A entrada é gratuita.

Fecha y hora

02/06/2020 1:00 pm

Fecha de inicio

22/06/2021

Fecha de fin

22/06/2021

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

Um projeto destinado a exaltar a arte Drag brasileira e seus personagens, neste caso, Alexia Twister, Mercedez Vulcão e Thelores.
João Meirelles entrevista Mayra Castro, advogada e especialista em relações internacionais.
Entrevistamos a doutora Ima Célia Guimarães Vieira, especialista em ecologia e desenvolvimento sustentável.
Uma entrevista com o Defensor Público do estado do Pará, Johny Fernandes Giffoni.
Um ciclo de entrevistas realizado em colaboração com o Instituto Peabiru, de Belém do Pará (Brasil).
Anterior
Próximo