EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA REUNE OS ITINERÁRIOS HISPÂNICOS DE GILBERTO FREYRE

A exposição destaca a vinculação do célebre sociólogo pernambucano com a Espanha e Salamanca, que visitou em três ocasiões.

Na quarta-feira, 26 de fevereiro, às 13h00, o CEB inaugura a exposição “Itinerarios hispánicos de Gilberto Freyre”, com textos de Pablo González Velasco (USAL) e imagens e documentos proporcionados por Jamille Barbosa (Fundação Gilberto Freyre, Brasil) e do Arquivo Histórico da Universidade de Salamanca.

Os itinerários hispânicos do antropólogo brasileiro Gilberto Freyre são aqueles que foram percorridos pelo próprio autor, em sua genealogia familiar, suas viagens, sua formação e seu ideário. Itinerários transoceânicos, de ida e volta, que seus leitores também percorrem na interpretação da sua obra e da sua biografia. Freyre soube interpretar sem preconceitos a Ibéria medieval e do renascimento a partir do método do relativismo cultural do antropólogo Franz Boas e da sua perspectiva do tempo tribio onde “el pasado nunca fue, el pasado continúa”. É possível traçar os diferentes itinerários hispânicos de Freyre, em um sentido mais amplo do espanhol (entendendo o hispânico como ibérico), ao identificar a marca ibérico-medieval no nordeste brasileiro; ou ao traçar as afinidades, contrastes e possíveis futuros geopolíticos em suas interrelações hispânicas do livro O Brasileiro entre os outros hispanos; ou ao esboçar seu inovador conceito de hispanotropicologia. Para Freyre, o Brasil não só era “hispânico”, mas era o país mais hispânico de todos: duplamente hispânico. Primeiro, por ser Portugal também de cultura ibérica e, segundo, pela experiência decisiva da época “filipina” da união de coroas sob o governo de reis espanhóis. O catedrático da Universidade de Salamanca e prefeito da cidade, Alberto Navarro González, amigo do antropólogo brasileiro, escreveu que a Espanha e a universidade espanhola tinham uma dívida com Gilberto Freyre por sua enorme contribuição para visualizar e estreitar os laços culturais entre o Brasil e a Espanha. Esta exposição, que forma parte do Congresso Internacional de Ciências Sociais e Humanas. La obra de Gilberto Freyre en el marco de las Ciencias Sociales y Humanas Contemporáneas, organizado pelo CEB salda uma parte da dívida espanhola e salmantina com o antropólogo brasileiro.

A mostra estará aberta à visitação no Palácio de Maldonado, de 26 de fevereiro a 20 de março, de segunda à sexta-feria, de 09h00 às 14h00. A entrada é gratuita.

Fecha y hora

02/06/2020 1:00 pm

Fecha de inicio

09/03/2021

Fecha de fin

09/03/2021

Lugar

Palacio de Maldonado

Compartir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no skype
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Relacionado:

Uma conferência musicada sobre um dos ritmos carnavalescos mais antigos do Brasil com Nelson Caron.
Novo prazo: até 1º de março para matrículas nos níveis B2.1 e C1.2.
Anterior
Próximo