Conferência “Arbitrismo e pensamento monetário no Império Colonial Português”

O evento reflete sobre a atuação de Bernardo de Vieira Ravasco, o primeiro secretario de Estado do Brasil.

No próximo 31 de outubro, a partir das 12 horas, o CEB acolhe a conferência “O ‘Papel sobre a moeda’ de Bernardo Vieira Ravasco, secretário do Estado do Brasil: arbitrismo e pensamento monetário no Império Colonial Português”, que será ministrada, em português, pelo professor Pedro Puntoni, da Universidade de São Paulo (USP, Brasil).

Bernardo de Vieira Ravasco, irmão do Padre Antônio Vieria, foi secretário de Estado do Brasil desde 1646, o segundo cargo mais importante da colônia, somente antecedido pelo Governador Geral. De caráter forte, serviu no exército durante 14 anos, e de acordo com a sua folha de serviços, participou na guerra contra os holandeses em Salvador da Bahia (1624-1625).

A conferência acontecerá de forma presencial no salão de atos do Palácio de Maldonado (Plaza de San Benito, 1, Salamanca) e também será transmitida ao vivo através das redes sociais do CEB: Facebook e YouTube. A entrada é livre até completar a lotação.

O conferencista

Pedro Puntoni é doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP, Brasil), onde atua como profesor associado desde 1999. É pesquisador do Coselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), onde atualmente coordena o Núcleo de Cultura Digital. Foi diretor da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da USP (2007-2014) e coordenador do Projeto Brasiliana USP (responsável pelo desenvolvimento da Biblioteca Brasiliana digital). Igualmente, Pedro Puntoni é vice-coordenador do finisterra_lab (Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre os Impérios Ibéricos na Época Moderna) e pesquisa na área de História do Brasil Colônia e de Ciências da Informação.

Fecha y hora

31/10/2023 12:00 am

Fecha de inicio

31/10/2023

Fecha de fin

31/10/2023

Compartir

Relacionado:

Os palestrantes analisarão as principais características do chamanismo ameríndio e como ele se vincula à produção de diferentes artistas e intelectuais indígenas.
O professor Sebastião Vargas abordará nesta conferência como aconteceu a transferência do imaginário que a Europa havia criado sobre o Oriente, às terras e
Três especialistas analisam a evolução do movimento indígena no Brasil, a partir da Constituição de 1988 até os nossos dias.
Anterior
Próximo